Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Setembro, 2012

Topónimos germânicos (VI): terminações em -ilde

Nesta sexta nota sobre antropotoponímia germânica vou expor o caso dos topónimos terminados em -ilde. Procedem, como no resto dos casos, de um genitivo, neste caso -gildi, com uma evolução dupla: para -ilde, pola perda do -g- não sonorizado; e para -gilde, pola sonorização dessa gutural. Com independência do modo como evoluiram, estas terminações correspondem-se com o étimo paleo-germânico *geldan 'tributo, recompensa' funcionando como deuterotema (ver CTAGG).

Se deitarmos uma olhada nos compéndios toponímicos da Galiza, encontramos as seguintes ocorrências: Agilde, Aquisilde, Baílde, Engilde, Espaílde, Fagilde, Faílde, Gugilde, Jugilde, Lugilde, Urdilde, Novegilde, Nugilde, ademais de um Vilagilde que mercerá um comentário mais demorado e um Vilarfrugilde. Fora da atual CAG, há um Tenchilde no conc. de Porto, um Ungilde e um Cristilde no conc. de Povra de Seabra — todos na comarca de Seabra.

Algumas evidências Como nas anteriores notas, a maioria dos topónimos encontrados ap…

Das vendas, das mercas e das feiras

Andam os tempos cada vez mais económicos. Nunca tanta gente soube tanto tecnicismo nem tanta gíria económica, e talvez nunca tanta gente soube menos de economia, polos vistos. Hoje vou fazer um pequeno contributo, referindo-me às vendas, às mercas e às feiras que povoam a nossa toponímia galego-portuguesa. A existência de topónimos relacionados com os étimos venda e merca parece relacionar-se de algum modo, complementariamente. E o termo feira, polo mesmo, parece englobar ambas as ações. Também na toponímia.

Diz Cunha que o topónimo Venda é viário e refere um "lugar onde se faziam vendas ou mercado à beira da estrada". É possível, porque a palavra "venda" tem, com efeito, esse significado no contínuo galego-português. E mesmo poderia dizer-se do topónimo Merca, com o mesmo valor, embora com um significante complementar. Se, com efeito, se tratar de topónimos viários é outra questão, que não deixa por isso de ser possível. Com efeito, no galego-português medieval há…